Turismo no Irã: quais cidades visitar, melhor época para a viagem, como tirar o visto e mais!

Turismo no Irã, conhecendo a praça de isfahan
Fê in Isfahan

This post is also available in: English

Pensando em fazer turismo no Irã? Que bom! Nós já estivemos por lá duas vezes, somando quase três meses de viagem pelo Irã. Aqui você encontra um guia completo com as cidades mais interessantes para visitar, atrações únicas e imperdíveis, dicas de onde se hospedar, como tirar o visto, reservar o seguro saúde e muito mais.

a mesquisa rosa de shiraz refletindo varias cores no seu interior
Os reflexos coloridos da mesquita rosa de Shiraz

Se você segue o Monday Feelings há um tempo (se ainda não, corre lá no Instagram e no Facebook), deve saber que o Irã é um dos nossos países preferidos. Não estamos falando isso apenas para contradizer o preconceito sustentado pela mídia, nós realmente amamos esse país, e sabemos que não estamos sozinhos nessa. Todas as pessoas que conhecemos que foram para o Irã, voltaram descrevendo a experiência maravilhosa que tiveram.

E se você está lendo este post, há grandes indicações de que você está prestes a conhecer e se apaixonar pelo Irã também. Então, para te ajudar na jornada, aqui vai o nosso roteiro no Irã, com todas as atividades, cidades e sabores que não podem ficar de fora do seu roteiro.

Fernanda apontando para a placa onde mostra o sentido para Pasargada, no Irã
No caminho para Pasargada, perto de Shiraz

Informações básicas sobre turismo no Irã:

Melhor época para uma viagem ao Irã

A melhor época para viajar para o Irã é durante as temperaturas amenas do outono (setembro a dezembro) e da primavera (março a junho). O verão é realmente muito quente, principalmente no sul. E óbviamente o inverno é bastante frio, dificultando bastante sua passagem em lugares montanhosos e desertos.

Dinheiro no Irã

Não é possível utilizar o seu cartão de crédito/débito no Irã, pois devido às sanções econômicas, empresas como a MasterCard e Visa não podem operar por lá. A solução é levar todo o valor em espécie, ou então utilizar um dos Travel Cards que foram colocados à disposição dos turistas recentemente.

Como reservar hotel no Irã e outras atividades

Por conta da proibição do cartão de crédito, compras online também ficam restritas. Sendo assim, você dificilmente conseguirá reservar passeios, voos, transporte e até mesmo hotel antes da viagem. Mas calma que, para – quase – tudo sempre há uma solução. Atualmente, já existem agências de viagem online iranianas disponibilizando serviços do tipo. Uma delas é a 1st Quest, a qual tivemos a oportunidade de conhecer durante a nossa última visita ao Irã. A empresa é séria e eficiente e colocamos alguns links deles aqui no texto para auxiliar nas suas reservas online. Qualquer dúvida, escreva pra gente.

Visto de turismo no Irã

Brasileiros e portugueses podem solicitar o VoA (Visa on Arrival) na chegada ao aeroporto. Vale ressaltar que para tirar o VoA iraniano, é preciso seguir uma série de exigências. Explicamos o passo a passo aqui neste texto. E vale ressaltar também que recomendamos o E-Visa, que é o seu visto eletrônico que pode ser feito antes mesmo do embarque. Na nossa última visita ao Irã, decidimos pegar o nosso visto na chegado ao aeroporto e quase que não entramos no país.

Seguro viagem Irã

É obrigatório ter seguro viagem para visitar o Irã. Se você está viajando há algum tempo e já possui um seguro internacional, fique sabendo que ele provavelmente não cobre o Irã (quase nenhum cobre). De qualquer forma, você pode reservar seu seguro de viagem para o Irã na sua chegada ao país, no aeroporto mesmo. Ele custa mais ou menos €14 e é válido por 30 dias.

Se você é do tipo de viajante que prefere chegar com tudo em ordem, uma alternativa é reservar o seu seguro viagem com antecedência através de uma agência de viagens local. O custo será o mesmo que no aeroporto, ou talvez um pouco mais barato (recomendamos este seguro oferecido pela 1st Quest).

 

Fernanda refletida pelos vitrais coloridos da mesquita rosa
A Fê no Pink Mosque de Shiraz, no Irã

Roteiro Irã, o que fazer no Irã

Antes de compartilharmos com você tudo sobre o que fazer e onde ir no Irã, segue algumas dicas importantes:

  • As cidades deste roteiro de viagem pelo Irã estão em ordem de “importância/relevância” histórica, cultural e turística. Então, se tiver pouco tempo no país, priorize os primeiros destinos mencionados: Teerã, Isfahan, Shiraz e Yazd. Estas cidades compreendem o “Roteiro Clássico Iraniano” e pode facilmente ser feito em menos de duas semanas.
  • Apesar de ser um país lindo, com arquitetura surreal, o melhor dessa viagem é simplesmente se perder, caminhar sem destino e conversar com as pessoas. Turistas no Irã são super bem quistos e você será abordado por locais simpáticos inúmeras vezes. Se permita aceitar todos os convites para piqueniques, jantares e churrascos e se prepare para vivenciar a melhor hospitalidade do mundo.
Precisa de uma ajuda extra para organizar a sua viagem pelo Irã? Montamos roteiros personalizados, com dicas e informações do que fazer em cada cidade, além de recomendações de restaurantes e hotéis que cabem no seu orçamento. Já ajudamos outros viajantes a tirarem o melhor proveito de sua viagem ao Irã e teremos o maior prazer em trabalhar com você também. Se interessou? Mande um e-mail pra gente no getintouch@mondayfeelings.com ou uma mensagem por aqui e vamos conversar!

– Teerã

Teerã turismo: recomendamos de dois a três dias para uma viagem em Teerã.

Fernanda pulando com os dois calcanhares no ar na frente da torre Azari em Teerã
Azadi Tower, ou Torre da Liberdade, em Teerã

Teerã é a capital do Irã, uma cidade caótica, porém vibrante. A cidade é a mais populosa do país, com 9 milhões de pessoas, e é extremamente cultural e artística. É uma das cidades com o maior número de parques urbanos no mundo!

Nós recomendamos passar de dois a três dias em Teerã, dependendo do quão flexível é o seu itinerário. Caso queira passar uma temporada mais longa por lá, fique tranquilo, pois não terá problemas em encontrar o que fazer em Teerã durante a estadia.

O que fazer em Teerã

cidade de teerã iluminada pelo pôr-so-sol
O pôr-do-sol visto de Bam-e Tehran
  • Palácio Golestan;
  • Museu Nacional;
  • Torre Azadi;
  • Ponte Tabiat: conhecida como Ponte da Natureza, ela foi projetada por uma jovem arquiteta iraniana e é um ponto de encontro de casais e famílias. Tente visitar no final da tarde, quando o lugar está cheio e o clima é simplesmente delicioso;
  • Rua Valiasr: a rua mais longa do Oriente Médio e ponto de encontro de jovens a noite;
  • Darband: um bairro nas montanhas que está cheio de restaurantes e lojinhas. Esse também é o princípio de uma trilha de dois dias que muita gente gosta de fazer (iranianos adoram a natureza);
  • Bazar Central: nós não somos adeptos às compras e por isso não achamos o lugar nada demais, mas para quem gosta desse tipo de ambiente, não dá para perder;
  • Visitar muitos parques: se perder durante a noite e ser convidado para fazer um piquenique com alguma das famílias presente (sério é só andar pelos parques e esperar o convite);
  • Bam-e Tehran: O lugar fica em cima de uma montanha e é também conhecido como o teto de Teerã. Bam-e Teerã é perfeito para ver o pôr-do-sol colorindo a cidade ou fazer atividades radicais, como zip line, bungee jump, skiing. E conta com barracas de comida!
  • Bônus: No inverno é possível esquiar em Teerã. Não testamos (viajamos em pleno verão), mas ouvimos falar que as pistas são as melhores da Ásia Central.

Onde se hospedar em Teerã

dentro de um dos quartos do hotel Hanna Boutique de Teerã, com um sofá e uma planta ao lado
Dentro de um dos quartos do hotel Hanna Boutique

Na última visita a Teerã, fizemos uma parceria muito legal com o que consideramos o melhor hotel da cidade, o Hannah Boutique Hotel. As diárias não são baratas, mas o lugar é realmente especial.

Localizado bem no coração de Teerã, ele fica em um antigo casarão histórico convertido em hospedam por um casal famoso de arquitetos iranianos. Cada quarto tem um estilo diferente e uma vibe totalmente artística. O café da manhã é simplesmente divino e o mais legal é a confraternização com outros iranianos que frequentam o local (o Hanna Boutique é bem conhecido entre a classe mais artística iraniana). Aliás, mesmo que você não fique hospedado no Hanna Boutique, reserve um dia para experimentar o restaurante deles e conhecer o local.

Se estiver buscando algo mais em conta, o Hi Tehran Hostel nos foi super bem recomendado por outros viajantes. Eles estão situados em uma casa bem charmosa e acolhedora e oferecem quartos individuais ou compartilhados.

Visitar a cidade de Isfahan

Isfahan turismo: recomendamos de dois a três dias de viagem em Isfahan

Naqsh-e Jahan, a praça central de Isfahan com uma carroça passando, uma pomba voando e pessoas caminhando
Naqsh-e Jahan, a praça central de Isfahan

Isfahan (também conhecida como Esfahan) é provavelmente uma das cidades mais bonitas do Irã. É também  um museu a céu aberto, um dos melhores exemplares da arquitetura persa e islâmica.

Capital do Império Persa entre 1592 a 1722, ela é conhecida como “Half the World” (Metade do Mundo, em português), uma alusão a sua beleza, já que muitos consideram que é ali que estão metade de todas as maravilhas do mundo. A cidade está cheia de jardins, praças, mesquitas, bazares, entre outras construções a serem visitada, incluindo dois patrimônios mundias da Unesco no Irã.

O que fazer em Isfahan

Fernanda com a mesquita Sheikh Loftlollah ao fundo no palácio de Ali Qapu na praça Naqsh-e Jahan
Fê no terraço do Palácio de Ali Qapu
  • Praça Naqsh-e Jahan: também conhecida como “Imam Square”, a Naqsh-e Jahan Square é um Patrimônio Mundial da Unesco e sua tradução literária significa “Imagem do Mundo”. Esta praça de incrível beleza foi construída no centro do Império Persa e tinha como objetivo refletir a essência e grandiosidade daquele tempo. É ali que ficam a Mesquita Sheik Lotfollah, o Bazar Imperial e o Palácio de Ali Qapu (recomendamos visitar todos estes monumentos);
  • Mesquita Jameh (Masjed-e Jāmé): um pouco afastada do centro turístico de Isfahan e negligenciada pela maioria dos viajantes, esta mesquita é outro Patrimônio Mundial da Unesco em Isfahan e merece a visita;
  • Caminhar pela Ponte Si-o Se Pol;
  • Conhecer a Ponte Khaju;
  • Andar pela Avenida Chahar bagh Abbasi;
  • Visitar o Bairro armênio de Jolfa e entrar na Catedral Vank. 

Onde se hospedar em Isfahan

a sala de espelho, uma das salas da casa histórica do hotel Kianpour
A sala de espelhos onde toma-se o café-da-manhã na casa histórica do hotel Kianpour

Nós ficamos hospedados em um boutique hotel lindo em Isfahan, situado dentro de um antigo palácio da Era Qajar (1789 to 1925), chamado Kianpour Historical House. O trabalho de reconstrução do dono do local, o Mr. Kianpour, foi simplesmente impecável (caso fique lá, não deixe de pedir para ele te mostrar as fotos de como era o palácio antes da reforma).

Uma opção de hotel em Isfahan mais em conta, mas que também nos foi muito bem recomendado é o Howzak House. Também situado em um casarão histórico, os quartos do Howzak são individuais, mas os banheiros compartilhados. Lá ainda é possível ter aulas de culinária persa, entre outras atividade.

– Shiraz

Shiraz turismo: recomendamos três dias para a viagem em Shiraz.

A Fernanda sentada em posição de reza, iluminada pelas cores dos vitrais da mesquita rosa de Shiraz
A famosa Pink Mosque de Shiraz

Shiraz é indiscutivelmente uma das cidades mais interessantes do Irã! Ela é reconhecida em todo o país por ser um importante centro cultural e intelectual; e se o nome lhe é familiar, fique sabendo que foi exatamente aqui que o vinho Shiraz foi inventado.

Shiraz é o melhor ponto de partida para conhecer as antigas capitais do Império Persa: Pasargada e Persépolis! Não deixe de visitar a Necrópolis que fica no caminho entre uma capital e outra.

*Você sabia que a Pasárgada de Manuel Bandeira existe de verdade e fica no Irã?! Vem ler esse nosso relato no texto Indo embora pra Pasargada.

O que fazer em Shiraz

Mulher muçulmana passando entre uma viela no centro histórico de Shiraz
Pelas ruas do centro histórico de Shiraz
  • Aramgah-e Shar-e Cheragh: um conjunto magnífico de prédios, mausoléus e mesquita. Eles providenciam um guia gratuito em inglês. Ah, mulheres têm que usar o shador (aquela vestimenta que cobre tudo, menos o rosto), mas fique tranquila que irão te providenciar um na entrada;
  • Aramgah-e Hzez: o túmulo do grande poeta persa Hafez;
  • Eram Garden;
  • Mesquita Nasir-al-molk: a famosa Pink Mosque, ou Mesquita Rosa. Para pegar o melhor efeito do sol batendo nos vitrais coloridos, chegue antes das 8h30am.
  • Fazer um tour por Persépolis, Pasárgada e a Necrópolis: você pode reservar o passeio com antecedência aqui, ou então deixar para encontrar um motorista/guia em Shiraz mesmo. Andando pelo centro da cidade você encontra guias oferecendo o serviço.

Onde se hospedar em Shiraz

 

Fernanda sentada na sala comunal da casa histórica do Hotel Homayouni
A Fê no espaço comunal da casa histórica do hotel Homayouni

Nós ficamos hospedados no tradicional Homayouni House e simplesmente adoramos. O hotel fica em um antigo casarão, ao melhor estilo arquitetônico persa e está localizado no centro histórico de Shiraz. Os quartos são individuais e o café da manha é servido diariamente no terraço, com direito a uma senhorinha que prepara o pão na hora utilizando técnicas locais.

– Yazd

Yazd turismo: recomendamos dois dias de viagem em Yazd.

Tiago e Fernanda watching the sunset on top of the mountain at the Silent Temple in Yazd
Curtindo o silêncio no Templo do Silêncio de Yazd

A cidade de Yazd fica praticamente no deserto e é melhor se programar para não visitá-la nas temporadas mais quentes.

Yazd tem uma das maiores populações zoroastras do Irã e é um prato cheio para conhecer mais sobre a primeira religião monoteísta do mundo. Um dos mantras do zoroastrismo é: “Bons Pensamentos, Boas Palavras e Boas Atitudes” (ou پندار نیک  گفتار نیک کردار نیک). Bonitinho, né? Nós gostamos tanto que acabamos tatuando.

O que fazer em Yazd

a muslin woman walking in the background, behind a passage, inside the Silent Temple in Yazd
Mulher andando no Templo do Silêncio em Yazd
  • Assistir a uma apresentação de Pahlevani, a luta livre iraniana: Este é um tipo de arte marcial persa muito antiga e tradicional. Embora em Yazd tenhamos visto apenas os atletas treinando (o que é bem legal!), durante o World Nomad Games (ou Olimpíadas Nômades), no Quirguistão, tivemos a oportunidade de assistir a uma luta Pahlevani de verdade, e foi emocionante;
  • Visitar o Templo Zoroastra Atashkadeh: onde fica uma chama que dizem estar acesa há 1500 anos. Os zoroastras têm os quatro elementos da natureza como sagrados, por isso o fogo vitalício fica dentro de um templo;
  • Se perder pelas ruas charmosas da Old Town;
  • Conhecer a Mesquita Jame;
  • Visitar o Templo do Silêncio.

Veja opções de hotel em Yazd aqui

– Kashan

Kashan turismo: recomendamos três dias para Kashan

um dia para conhecer Kashan, outro para visitar a cidade de Abyaneh, e mais um para fazer um tour no deserto de Manrajab.

O teto da casa histórica Borujerdi
O teto da casa histórica Borujerdi

Kashan é uma cidade histórica iraniana que tem ganhado popularidade entre turistas locais e estrangeiros nos últimos anos. O interessante de Kashan é conhecer suas antigas mansões que representam perfeitamente a cultura e arquitetura persa. Como nos explicaram, toda casa iraniana deve ter três elementos: luz, cor e água – e você encontra todos os três nas casas históricas de Kashan.

O que visitar em Kashan

dois homens no teto de uma casa olhanda para a cidade de Kashan com mesquitas e torres ao fundo
As famosas torres de vento de Kashan
  • Conhecer a Abbasian Historical House;
  • Conhecer a Historical House Sazvr;
  • Conhecer a Tabatabaei Historical House;
  • Visitar a cidade subterrânea de Nushabad – essa é uma cidade subterrânea de mais ou menos 1500 anos de idade onde os Persas antigos se refugiavam em tempos de guerra;
  • Passear pelo Fin Garden;
  • Fazer um tour para a cidade tradicional de Abyaneh;
  • Fazer o tour do deserto de Manrajab

DICA: Dá uma olhada neste passeio que inclui Nushabad, o deserto de Manrajab e os lagos de sal de Kashan.

Onde se hospedar em Kashan

O hall do hotel Sarva House
O hall do hotel Sarva House

Como falamos, a cidade de Kashan é conhecida por suas casas tradicionais e muitas delas foram transformadas em hotéis. Saber escolher onde se hospedar por aqui é uma ótima maneira de sentir melhor a essência da cidade.

Nós ficamos hospedados no Sarva House, um boutique hotel muito lindo e charmoso que também fica dentro de uma casa iraniana tradicional. O Sarva House tem poucos quartos, todos suítes, com saída para o terraço central, como é tradicional deste tipo de construção. Além do espaço, que é bem bonito, eles servem um café da manhã super gostoso, com vários pratos locais.

– Kerman e o deserto de Lut

Recomendamos um dia para conhecer Kerman e três dias para o tour no deserto de Lut. 

lagos de cores azul esmeralda e verde fromados no deserto de Lut no irã
Lagos formados pela chuva no deserto de Lut

Kerman não é uma cidade muito conhecida pelos viajantes internacionais, mas é bem quista pelos turistas locais. Uma cidade histórica, ela possui um bazar bem interessante, além de algumas mesquitas bonitas e as famosas casas de banho iraniana.

Sinceramente, não achamos Kerman muito imperdível, mas o que faz a viagem até esta cidade valer a pena é a proximidade com um dos desertos mais espetaculares que já visitamos, o Dash-e Lut.

Fizemos um tour de três dias com o Ali, da agência Azure Dome, e não podemos recomendar mais a experiência. Durante os três dias de passeio, acampamos sob o céu estrelado, subimos no topo de uma montanha repleta de pedras vulcânicas, nadamos em um oásis, assistimos ao nascer do sol em meio as formações rochosas conhecidas como Kalut e ainda presenciamos os lagos que se formaram em parte do deserto, depois de fortes chuvas alagarem as dunas (veja um vídeo desse efeito maravilhoso).

Para quem se interessar pelo tour pelo deserto de Dash-e Lut, o Whatsapp do Ali é: +98 913 295 6978.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Monday Feelings (@mondayfeelings) em

– Tabriz

Tabriz turismo: recomendamos um ou dois dias de viagem em Tabriz.

um dos templos de Tabriz, Irã
Dentro de um dos tempos de Tabriz

Essa é uma região mais turca do que iraniana. Ela fica no norte do Irã, perto da fronteira com a Turquia e é uma ótima opção para quem está indo pra lá ou para a Armênia (aos que pretendem cruzar para a Turquia, confirme antes, pois é possível que a fronteira esteja fechada devido a conflitos).

O que fazer em Tabriz

  • Visitar Kandovan, a Capadócia iraniana;
  • Conhecer a Mesquita Kabood;
  • Visitar o Bazar Central: mais uma vez, para quem curte compras.

*Veja opções de hotel em Tabriz aqui.

– Ilha de Hormuz

Recomendamos um a dois dias de viagem para a Ilha Hormuz

Tiago e Fernanda dentro da caverna de arco-iris na ilha de Hormuz no Irã
Poses e caretas dentro da Rainbow Cave

Conhecida como Rainbow Island (Ilha Arco Íris), essa ilha iraniana é de uma beleza excepcional do Golfo Pérsico. O interessante de Hormoz é que como ela fica afastada de outros centros urbanos, o clima é de mais liberdade, e você ve inclusive mulheres andando sem a burca.

Para chegar em Hormuz, é preciso pegar um barco da cidade de Bandar Abbas.

O que fazer na Ilha de Hormuz

  • a Red Beach e a Silver Beach,
  • a Rainbow Cave,
  • a Rainbow Mountain,
  • o Castelo Português
  • e o Museu do Dr. Ahmad.

See onde se hospedar na Ilha de Hormuz.

– Ilha de Qeshm

Recomendamos um a dois dias para conhecer a Ilha de Qeshm

o vale das estrelas a noite, com uma montanha e o ceu estrelado
As estrelas do Vale das Estrelas em Qeshm

Vizinha a Hormuz, esta é outra ilha iraniana do Golfo Pérsico de beleza excepcional. A ilha é super mística e contempla diversas áreas de proteção ambiental e cultural, figurando inclusive na Rede Mundial de Geoparques da UNESCO. Nós realmente recomendamos que você alugue um carro para explorar bem a ilha. Caso contrário, você pode montar o seu itinerário na ilha de Qeshm e negociar com qualquer taxista o seu dia.

O que fazer na ilha de Qeshm

  • A caverna de sal (Salt Cave);
  • O vale das estrelas (Stars Valley);
  • O Vale de Tandis – ou vale das estátuas (Tandis Valley or status valley);
  • O cânion Chahkooh (Chahkooh Canyon);
  • O valle Darre Shour (Darre Shour Valley);
  • O mangue (The Mangroove);
  • A cidade de Laft (Bander-e Laft) – um vilarejo bem bonitinho e muito antigo, famoso pelas suas torres de vento;
  • A Ilha de Hengam (Henfam Island) – uma ilha paradisíaca, bem tranquila e pacífica, ótima para passar o dia cutindo a natureza, possivelmente ver a migração de golfinhos e um belo pôr-do-sol.

Recomendação: se quiser conhecer mais sobre o lado místico da ilha de Qeshm no Irã, tem um filme cult iraniano bem legal chamado a Dragon Arrives.

Veja onde se hospedar em Qeshm aqui.

Visitar a Ilha Kish

A Ilha Kish é um paraíso localizado no Golfo Pérsico. As regras em Kish são completamente diferentes das do resto do Irã:

  • mulheres podem nadar na praia;
  • álcool é legalizado e;
  • ninuém precisa de visto para entrar.

Dizem que a ilha é um dos melhores pontos para snorkeling e mergulho do mundo.

Confira as opções de hotel em Kish Island aqui.

– Hamedan

Recomendamos um ou dois dias de viagem em Hamedan.

dentro de Ali Sadr, a maior caverna de água do mundo
Dentro da caverna Ali Sadr

Hamedan é uma cidade bonita e super bem cuidada, com uma praça principal onde várias famílias acampam durante os finais de semana. Se você tiver a oportunidade, vá dormir na praça também, conhecer outras famílias e esperar ser convidado por alguma delas para um piquenique.

O que fazer em Hamedan

  • Caverna Ali Sadr: a maior caverna alagada do mundo. 11km de extensao e 5km para serem explorados a pe ou de barco.
  • Visitar o parque onde ficam as inscrições Ganj Nameh, cravadas na pedra há mais de 2000 anos, durante o Império Persa.

Confira as opções de acomodação em Hamedan aqui.

– Vila de Masuleh

Recomendamos apenas uma tarde em Masuleh, ou então dormir por uma noite.

Casas em Masuleh onde seus tetos formam o chão do terraço da casa acima, com pessoas e lojas nos telhados
Olha a galera e as vendinhas nos telhados!

Um vilarejo interessante com uma arquitetura única. As casas formam escadas e para ir de um lado para o outro você precisa caminhar pelo telhado das casas.

Masuleh é um destino bastante turístico entre os iranianos e está cheia de mercadinhos, cafés para fumar uma shisha e restaurantes.

– Castelo Rudkahn

Tiago e Fernanda tirando uma selfie com o castelo Rudkahn ao fundo no Irã
Valeu a pena subir toda essa montanha!

Se estiver pela região de Masuleh, não deixe de conhecer esse castelo do século 2. A subida até lá é bem legal e exsitem vários cantos a serem explorados. Sem contar nos iranianos que você vê pelo caminho, que estão curtindo a natureza, recitando poemas ou cantando músicas tradicionais. Os iranianos são lindos assim. Sem mais. Rs.

– Abadan

Ok, essa não é parada obrigatória, maaaas foi uma das coisas que mais nos surpreendeu e não tinha como ficar de fora deste guia de turismo no Irã!

Abadan é uma cidade brasileira no Irã!

Uma loja de rua pintada toda de Brasil nas ruas de Abadan
Um dos muitos shops – que normamente têm o nome de Ronaldinho, Roberto Carlos, Rivaldo… – nas ruas de Abadan

Não tem nada para fazer, a não ser ver a fixação surreal que eles têm pelo Brasil. Haha tá valendo, porque no final das contas, o melhor do Irã são os iranianos e Abadan é um prato cheio.

Essa também foi a cidade mais destruída durante a Guerra Irã – Iraque (dá para ver o Iraque do outro lado do rio) e dá para entender melhor sobre esse capítulo sombrio da história do Irã.

Enfim, pra quem estiver disposto, fica aí uma dica totalmente fora do óbvio.

Tiago viajando por Shiraz no Irã
Tiago no Pink Mosque de Shiraz

*O texto Turismo no Irã: um roteiro de viagem completo por um dos países mais fantásticos do mundo foi originalmente escrito em junho de 2017 e atualizado em junho de 2020.