Este post também está disponível em: enEnglish

Depois das nossas longas viagens de bike para a Eslovênia e posteriormente pela Itália, muita gente nos perguntou como se preparar para um viagem de bicicleta. Quem acompanhou pelas mídias sociais sabe que não somos muito profissionais no assunto. Na verdade, a viagem para a Eslovênia, em que percorremos mais de mil km durante um mês e meio, foi a primeira da vida da Fê, que até então nunca tinha pensado em viajar de bicicleta para qualquer lugar.

Em Ferrara enquanto viajava de bicicleta pela Europa

O legal desse desafio foi perceber que todo mundo é capaz de se aventurar no cicloturismo. Cada um no seu ritmo e limitações, claro, mas se você tem vontade, não deixe nenhum medo ou receio te atrapalhar. Uma viagem de bicicleta não apenas é possível como é maravilhosa, uma forma única de conhecer destinos e pessoas, interagir profundamente com o ambiente visitado e ainda se exercitar.

Nós gostamos tanto das nossas experiência que nos propusemos a fazer pelo menos uma longa viagem de bicicleta por ano. Para o ano que vem, estamos planejando percorrer o Rio Danúbio da Alemanha à Ucrânia, então quem tiver dicas sobre essa ou outras rotas, escreva pra gente nos comentários ou e-mail. Quem sabe a gente não se encontra por aí?

*Assita também aos vídeos dessa viagem de bicicleta no nosso Canal do Youtube! Não deixe de se inscrever e contar para a gente o que achou. 

Mas vamos lá, o que é necessário para encarar uma viagem de bicicleta?

Imitando placas de transito nas estradas da Itália

O mais importante é melhorar a resistência física e se preparar psicologicamente. Infelizmente tivemos pouco tempo para treinar, mas duas semanas antes da viagem, começamos a correr diariamente no parque, fazer abdominais, jogar bola… enfim, foram duas horas por dia de exercícios, seguidas de meia hora de meditação para controlar a ansiedade.

É importante também fazer “viagens teste”. No nosso caso, como pegamos as bicicletas em cima da hora, fizemos apenas três “bate e volta” às cidades vizinhas para entender nossos limites físicos, velocidade média que conseguiríamos pedalar e para nos familiarizarmos com o novo meio de transporte. Se você tem tempo, faça pelo menos cinco viagens teste antes da grande viagem.

Quantos quilômetros pedalar por dia durante o cicloturismo?

Tiago, Fernanda e Luigi em Parma com nossas bicicletas

Nós e o Luigi em frente da LabOfficina Cigno Verde

Isso depende de cada pessoa. Nós fazíamos uma média de 70 a 100 km por dia. Pode parecer pouco, mas o nosso intuito com essa viagem não era correr, e sim apreciar a natureza, interagir com os locais que visitávamos e aproveitar a experiência. Também tínhamos muito trabalho para fazer durante a viagem (tanto com o Monday Feelings, quanto outros freelas para clientes), então não podíamos pedalar o dia inteiro.

Essa média, para o tipo de viagem que fizemos, foi perfeita. Mas quantos km pedalar em uma viagem de bike vai depender única e exclusivamente de você.

*Não esqueça de fazer o seu seguro viagem antes da pedalada. Os leitores do Monday Feelings ganham 15% de desconto: 

 


MONDAYFEELINGS5

bicicletas paradas na nossa viagem de bicicleta

nossas bicicletas e o carrinho pela Puglia, Itália

Dica: se você está montando seu roteiro de cicloturismo, aconselho deixar dois dias mais ou menos em aberto. Em uma viagem de bicicleta, é muito difícil seguir o itinerário à risca. Pode ser que um dia chova, ou então que você esteja muito cansado, com o joelho doendo, enfim… vários imprevistos podem aparecer, então deixe uns dois dias “extras” para conseguir redefinir o roteiro caso algo aconteça.

Se você como nós também trabalha enquanto viaja, dá uma olhada nesse texto sobre o Traveler’s Wifi, um roteador portátil que funciona muito bem em mais de 100 países.

Bicicleta para cicloturismo – qual escolher

Na primeira viagem que fizemos levamos uma mountain bike, porque a Eslovênia tem muitas trilhas. Já para a segunda, quando pedalamos pela Via Francigena, na Itália, onde a maior parte das estradas são pavimentadas, optamos por uma híbrida com pneu fino, para termos mais velocidade. Qual bicicleta levar vai depender do seu percurso.

soldando fazendo muitas faíscas

Luigi na Lab Ciclo Officina montando as bicicletas

As nossas bikes também não eram das melhores marcas (na verdade não eram de marca. rs). Nós as conseguimos através de uma parceria com uma Cooperativa de Parma, a Cigno Verde, que coleta bicicletas abandonadas e constrói outras através de peças recicladas em um projeto chamado Reciclo.

Por conta disso, as nossas bikes não eram as melhores, nem as mais ágeis, mas eram perfeitas para nós. Tínhamos bicicletas que foram feitas por um projeto que acreditamos e confiamos muito e nós mesmos ajudamos a montá-las (na viagem pela Itália, inclusive ajudamos a construir o carrinho das bagagens). Foi demais!

Luigi e Fernanda montando o carrinho de bicicleta

Montando o trailler da bicicleta

O que levar para uma viagem de bicicleta

Basicamente o mínimo possível. De verdade, quanto menos peso carregar durante o cicloturismo, melhor.

Roupas

  • Uma troca de roupa para pedalar: calça apropriada, se possível daquelas acolchoadas;
  • Duas trocas de roupa para quando não estiver pedalando – ninguém merece turistar parecendo que acabou de sair da academia;
  • Um tênis;
  • Um chinelo;
  • Capacete;
  • Óculos escuros.

Ferramentas

bike tools

É indispensável levar um kit de ferramentas para ajustar e consertar a bike. Aliás, é importante ter o mínimo de conhecimento sobre o assunto, porque você muito provavelmente terá que trocar um pneu furado, levantar o guidão, recolocar a corrente e etc.

  • Uma câmara de pneu extra;
  • Kit com cola e lixa para remendar um possível furo;
  • Chave para abrir a roda;
  • Bomba para encher o pneu;
  • Chave para arrumar os freios.

Extras

  • kit de primeiros socorros (BandAid, antiinflamatório e etc);
  • Bebida isotônica para dar aquela energia extra nos momentos de sufoco;
  • Muitas barrinhas de cereal.
Dica: baixe no celular um aplicativo de GPS que funcione offline para auxiliar na rota (recomendamos o Maps.me). Veja também: 10 aplicativos que todo viajante deveria ter no celular!

Se for acampar

bicicletas, barracas e pôr do sol no penhasco da Puglia

Nossas bikes, barracas e o pôr do sol visto do penhasco

  • Barraca;
  • Tapete térmico;
  • Saco de dormir;
  • Lanterna.
Dica: Se cadastre na plataforma WarmShowers (inglês para “Banho quente”), uma comunidade feita por e para ciclistas que se ajudam, oferecendo acomodação e/ou suporte para quem está na estrada. Tipo um Couchsurfing, só que de ciclistas. 

Se não for acampar, encontre o seu hotel no Booking. Eles são nossos parceiros e ao reservar sua hospedagem pelo nosso site, você não paga nada a mais e ainda nos ajuda a manter o Monday Feelings funcionando. Obrigado!



Booking.com