Trilha Salkantay: 5 dias de trilha de Cusco a Machu Picchu

Trekking to Machu Picchu through Salkantay trail

This post is also available in: English

Está pensando em fazer a trilha Salkantay que leva de Cusco a Machu Picchu? Aqui te passamos todas as informações sobre esta, que é uma das trilhas mais cênicas do Peru: quanto custa, como é o dia a dia detalhado, o quão difícil é o trek, o que levar e muito mais!

ÍNDICE

Peruvian culture

As diferentes trilhas para Machu Picchu

Machu Picchu é um dos destinos mais fascinantes do mundo e certamente faz por merecer seu título como uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno.

Quando foi construída, em 1400 dC, os incas caminhavam por dias pela Cordilheira dos Andes de Cusco (capital do império) até Machu Picchu. Atualmente, viajantes têm o luxo de contarem com trens e ônibus para fazer o trajeto, mas os amantes de atividades ao ar livre e aqueles que desejam um pouco de aventura nas férias, contam com ainda mais um opção para chegar a Machu Picchu: trilhas!

Existem diferentes trilhas de Cusco a Machu Picchu, sendo as duas mais famosas delas a Trilha Inca e a Trilha Salkantay.

A Trilha Inca é a mais históricas e popular, logo, também a mais lotada. Já a Trilha Salkantay, não é tão tradicional, mas passa por algumas das paisagens mais belas do Peru. Ela tem a vantagem de ser muito menos lotada do que a Inca, sendo uma ótima para viajantes que preferem ter um contato mais íntimo com a natureza.

Durante uma recente visita de duas semanas ao Peru, percorremos a trilha Salkantay até Machu Picchu e esta acabou sendo uma das melhores experiências de viagens que já tivemos.

Man trekking the Salkantay Trek to Machu Picchu

O quão difícil é a trilha Salkantay?

A trilha de Salkantay tem 70 km de distância, percorridos geralmente em até cinco dias e sua dificuldade é moderada.

Os viajantes interessados devem estar aptos a fazer longas trilhas. Além dos efeitos da altitude, são 6 horas de caminhada por dia em terrenos acidentados, subindo e descendo colinas constantemente. Quem se exercita regularmente não terá problemas para completá-la.

Os guias carregam botijões de oxigênio, portanto, se você começar a sentir os efeitos da altitude, poderá descansar e obter o oxigênio necessário. Se você já está acostumado com trilhas e não tem problemas com a altitude, não terá problemas em fazer esta trilha para Machu Picchu. Para todos os outros, pondere bem se você está preparado para o desafio.

ATENÇÃO: Não esqueça de contratar o seguro viagem para o Peru, principalmente se estiver considerando fazer trekking e outras atividades de aventura. Além de ser obrigatório para muitos países, ele é essencial para lidar com o imprevisto. Nós mesmos já tivemos que acionar o seguro diversas vezes, como no Paquistão, no Quênia e em Dubai, e tivemos a sorte de poder contar com um bom atendimento que não nos custou nada. Sempre contratamos o nosso seguro através da Seguros Promo, um comparador de preços que pesquisa entre as principais seguradoras do país, oferecendo as melhores ofertas. Por serem parceiros blog, leitores do Monday Feelings têm direito a 5% de desconto em qualquer seguro – é só usar o código MONDAYFEELINGS5.

Faça uma cotação aqui.

Durante a trilha Salkantay no Peru
Durante a trilha Salkantay // Crédito da foto: Jason Kraemer

Mas vamos começar pelo princípio: como chegar no Peru e em Cusco para fazer a trilha para Machu Picchu

Lima é a capital do Peru e geralmente o ponto de chegada dos voos internacionais. Existem vôos diretos de algumas cidades do Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Foz do Iguaçu) e dos EUA (LA, Nova York, Atlanta, Houston, Miami e Dallas).

De Lima, existem várias opções para chegar em Cusco, que é o ponto de partida para todas as visitas a Machu Picchu. Existe, por exemplo, uma combinação de ônibus + trem que leva pelo menos 8 horas por estradas sinuosas – mas esta não é a escolha mais comum. A opção mais usada pelos viajantes são os voos internos de Lima a Cusco. Existem muitas companhias aéreas regionais fazendo este trajeto diariamente. O voo é barato e a disponibilidade alta.

Como Cusco está localizado em um vale, os aviões precisam formar um semicírculo entre as montanhas enquanto descem, e a vista da janela do avião foi simplesmente espetacular!

Do aeroporto de Cusco, você pode pegar um táxi até o seu hotel no centro da cidade e a partir de então, caminhar para todos os lado. Aliás, recomendamos bastante você aproveitar este primeiro dia para bater perna pela cidade para ajudar o seu corpo a se adaptar à altitude, que você sente logo que desembarca em Cusco – são 3.400 metros acima do nível do mar!

Quanto tempo de viagem é necessário para fazer a trilha de Salkantay?

Dez dias é o mínimo de tempo que recomendamos para uma viagem ao Peru se você estiver afim de fazer a trilha de Salkantay para Machu Picchu. Isto te dá um dia inteiro de viagem na chegada e na partida, mais 5 dias de caminhada e outros 3 dias para se ajustar à altitude.

Vale lembrar que Lima está no nível do mar e passar um tempo lá não te ajuda a se aclimatar. Cada corpo reage de forma diferente aos efeitos da altitude, mas é bom reservar pelo menos alguns dias em Cusco antes de iniciar sua jornada.

Se você puder esticar sua viagem para 14 dias, terá tempo para explorar Lima e outras regiões do Peru após a trilha de Salkantay.

Vista de Cusco
Cusco // Crédito da foto: Jason Kraemer

Trilha Salkantay preço e as diferentes opções de tour

Você pode optar por fazer a trilha Salkantay em tempos variados. Existe, por exemplo um tour reduzido de três dias, ou então o de 8 dias que inclui as trilhas de Salkantay e Inca, e, finalmente, existe a opção mais comum, que é a trilha Salkantay clássica de cinco dias – foi esta que fizemos.

O custo para fazer a trilha Salkantay varia de US$ 400 a US$ 600 pelos cinco dias. Nós pagamos US$ 500 por pessoa, ou seja, uns US$ 100 por dia. Quase tudo estava incluso: os equipamentos, transporte, refeições, entrada para Machu Picchu etc. As únicas despesas extras foram a gorjeta para o nosso guia e os assistentes, a entrada das termas e o café da manhã no primeiro dia. Portanto, não mais do que um extra de US$ 30 por pessoa.

Trilha Salkantay agências: qual companhia escolher?

São várias as opções de agências que oferecem o tour pela trilha Salkantay e Inca. Você pode reservar o passeio antes da sua chegada ao Peru, através de plataformas como a Get Your Guide (que é a empresa que usamos e recomendamos durante nossas viagens), ou deixar para reservar quando chegar em Lima ou Cusco.

Visão do pico nevado da Montanha Salkantay

Trilha Salkantay relato

A noite anterior

Nosso guia nos encontrou no hostel na noite anterior para nos dar as primeiras coordenadas para a nossa trilha para Machu Picchu.

Nos foi entregue uma mochila impermeável de 10 litros cada para enchermos com nossas roupas e equipamentos. As malas seriam carregadas pelos burros e entregues a nós nos acampamentos. Ele descreveu nosso itinerário, onde pararíamos e nos deu a chance de fazermos quaisquer perguntas.

Colocamos o despertador para às 4am e fomos dormir com a mente ansiosa e cheia de incertezas.

Talvez possa te interessar também: 

Trilha de Salkantay: Dia 1

visão de lago no topo de uma colina no caminho da trilha Salkantay
Lago que visitamos no topo de uma colina no primeiro dia da trilha Salkantay // Visão da Montanha Salkantay

Acordamos bem antes do amanhecer (aliás, tivemos que nos familiarizar com a prática durante a semana de trek) para guardar nossas coisas e pular em uma van que nos levaria para o ponto de partida da trilha que leva de Cusco a Machu Picchu.

Algumas horas mais tarde, chegávamos ao nosso destino. O sol tinha nascido, o ar estava fresco e estávamos todos animados para começar a trilha!

Fomos apresentados ao nosso grupo, um total de cinco viajantes, o nosso guia, um cozinheiro, dois assistentes e os burros que carregariam todo o equipamento.

Como era o primeiro dia, a caminhada foi mais leve para que pudéssemos nos acostumar com o ritmo e a altitude.

Caminhamos por apenas 3 horas a uma altitude máxima de 3.800 metros.

Partimos pelas belas colinas e sob o sol quente da América do Sul. A trilha era íngreme, mas fácil para aqueles habituados a caminhadas de final de semana. No entanto, a altitude já começou a ali mesmo a mostrar os seus efeitos. Começamos a sentir a respiração mais difícil, as pernas pesadas e tivemos que nos diminuir o ritmo.

Dentro de uma hora de caminhada, avistamos a enorme montanha Salkantay coberta de neve e tivemos a surreal sensação de saber que em um dia estaríamos nela. Isso nos deu forças para avançar. A sensação de estarmos rodeados por aquela natureza e paisagens tão lindas era outro combustível para seguirmos pela trilha.

Chegamos ao acampamento no meio da tarde e almoçamos. Mais a tarde, quem quisesse poderia subir até uma pequena montanha para ver um lago. Da base da montanha, a caminhada não parecia desafiadora, mas já no começo da subida entendemos que aquilo não era tão fácil. O cansaço já estava começando a bater e desenvolvemos nossa estratégia de caminhada que nos serviria nos próximos dias: cabeça para baixo focando no movimento dos pés e um passo de cada vez. A cada 5 minutos, descanse para recuperar o fôlego.

A vista do lago valeu a pena! Era de um azul vibrante e estava rodeado pelas montanhas. Depois de descansar e tirar algumas fotos, voltamos ao acampamento. Uma coisa que nos surpreendeu foi a descoberta de que descer é frequentemente tão difícil quanto subir ladeiras. Nós realmente tínhamos que estar atentos a onde pisávamos, especialmente em terrenos mais difíceis e rochosos. A pressão nos joelhos também exige descanso frequente. Ao anoitecer, chegávamos ao acampamento, ansiosos para jantar e descansar.

Uma coisa que adoramos no nosso tour Salkantay foi a qualidade das refeições entre as caminhadas. Nosso cozinheiro foi incrível! Metade dos ingredientes eram transportados pelos burros e o resto ele ia pegando no caminho. As refeições durante a trilha Salkantay foram algumas das melhores que tivemos no Peru!

Naquela noite, quando terminamos o jantar e fizemos o caminho no escuro para a nossa barraca, fomos surpreendidos pelo céu estrelado mais incrível que já vimos. Como esta era a nossa primeira vez no Hemisfério Sul, ficamos encantados de ver as estrelas por esta perspectiva. Com zero poluição visual e o céu sem nuvem alguma, tivemos uma visão perfeita de toda a Via Láctea. Ficamos lá olhando para o céu até quando suportamos o frio.

A temperatura caiu ainda mais a noite e conseguimos pegar no sono por apenas duas horas. Apesar de terem nos dado sacos de dormir, ainda assim sentíamos frio, por isso, recomendamos trazer roupas bem quentes para a noite.

Trilha de Salkantay: Dia 2

Viajantes no topo da montanha Salkantay durante a trilha que leva a machu picchu
Conquistando o topo da Montanha Salkantay // Visão da Montanha Salkantay

Por volta das 5 am, a barraca foi desmontada e recebemos uma xícara de chá de coca para começar o dia. Este chá se tornaria nosso melhor amigo durante a semana e o tomávamos todos os dias de manhã e depois de cada refeição. Dizem que o chá de coca ajuda com os efeitos da altitude, além de dar força e energia. Se é verdade ou não, a questão é que o virávamos sempre.

Tomamos o café da manhã e saímos para a trilha antes do sol nascer. Este seria o dia de caminhada mais longo de todos; nos foi prometido um mínimo de 8 horas. A primeira metade do dia consistiu em subir em Salkantay. Isso significava horas de subida pelo terreno rochoso.

A essa altura, nosso grupo estava se dividindo com base nas habilidades, com alguns viajantes exigindo mais descanso e se movendo em um ritmo mais lento. Nossos guias e assistentes foram divididos igualmente entre os diferentes grupos.

Naquele dia, vimos em primeira mão os efeitos devastadores da altitude, quando um de nossos colegas foi seriamente afetado por ela. Ele ficou tonto e delirante e o guia teve que parar com ele e fornecer oxigênio até que ele pudesse continuar a trilha.

No meio do dia, atingimos o ponto mais alto da montanha, a 4500 metros. Estávamos pisando nos picos nevados que, apenas 24 horas antes pareciam tão distantes. Nos sentimos orgulhosos e realizados, mas a pausa foi curta. Seguimos pela trilha Salkantay, pois não estávamos nem na metade do trajeto reservado para o dia.

O resto da caminhada foi toda montanha abaixo até chegarmos em um vale úmido e extenso, repleto de pedras do tamanho de casas.

No almoço, estávamos tão exaustos que mal conseguíamos comer e logo adormecemos no chão.

Naquela tarde, continuamos a caminhada descendente por trilhas sinuosas em meio a selva e frequentemente tendo um precipício ao lado. Ficamos impressionados com a diversidade climática vista até ali: o Peru apresenta quase todos os tipos climáticos do mundo e apenas naquele segundo dia de trilha Salkantay, sentimos como se tivéssemos preseenciado metade deles. A paisagem havia começado com colinas secas, rapidamente se transformou em montanhas rochosas e depois em um pico coberto de neve. Do outro lado da montanha, encontramos vales úmidos e verdes e à tarde nos sentimos como se estivéssemos no coração da floresta tropical.

Quando partimos naquela manhã, estávamos vestidos com casacos, chapéus e luvas. Agora, camisetas e shorts eram suficientes. Adoramos experimentar esse ambiente de rápida transformação ao longo da trilha.

Após um longo dia de caminhada, ficamos gratos por chegar ao acampamento à noite para descansar. Tivemos outra refeição incrível, seguida de um sono mais do que merecido.

Trilha de Salkantay: Dia 3

Acampamento durante a trilha Salkantay
Um dos acampamentos que dormimos durante a trilha // Crédito da foto: Jason Kraemer

Este foi um dia mais leve, com mais descidas e um trajeto que cortava a selva densa e vibrante. O almoço no início da tarde marcou o fim do terceiro dia da trilha Salkantay. Também tínhamos chegado a primeira cidade desde que tínhamos saímos de Cusco, Santa Teresa.

Montamos acampamento, ainda com barracas, mas desta vez em uma área especifica para trekkers que estão fazendo a trilha de Cusco a Machu Picchu. Ali tivemos um pouco de tempo para relaxar. Santa Teresa é conhecida por suas fontes termais naturais e obviamente não perdemos a oportunidade de fazer uma visita. Era a primeira vez que nos limpávamos desde o início da jornada e nossos músculos doloridos se acalmados com a água das termas.

Exaustos, capotamos e tivemos a primeira noite de sono real.

Trilha de Salkantay: Dia 4

Peruanos de uma comunidade no percurso da trilha Salkantay
Peruanos de uma comunidade no percurso da trilha Salkantay // Crédito da foto: Jason Kraemer

O quarto dia de trilha Salkantay nos levaria a cidade de Aguas Calientes, que é o ponto de todas as partidas para Machu Picchu. Caminhamos por estradas de terra em zigue-zague esculpidas nas laterais dos vales, às vezes tendo que encolher os ombros quando carros passavam.

Caminharmos em terreno plano era uma mudança bem-vinda e as vistas para os vales eram simplesmente incríveis. Na última metade do dia, caminhamos por uma antiga linha ferroviária. A linha férrea estava rodeada de árvores, proporcionando um clima silencioso e pacífico. Os passos saíam mais fáceis, com a percepção de que estávamos chegando ao nosso destino final.

Naquela noite, chegamos em Aguas Calientes, jantamos com o grupo em um restaurante e fizemos check-in em nosso hotel. Um banho quente nunca foi tão bom, seguido pela alegria de dormir em uma cama.

Trilha de Salkantay: Dia 5

Chegando ao destino final da trilha de salkantay, machu picchu
O destino final da trilha Salkantay: Machu Picchu! // Crédito da foto: Jason Kraemer

No último dia, há duas opções para chegar a Machu Picchu para ver o nascer do sol.

1 – você pode acordar cedo (5h) e pegar um dos ônibus que circulam sem parar entre Aguas Calientes e Machu Picchu;

2 – ou você pode acordar ainda mais cedo (2h30) e subir até Machu Picchu a pé.

Já tínhamos caminhado até aqui e não íamos pegar um ônibus para os últimos km. Na manhã seguinte, partimos às 2h30 acompanhados de muitos outros viajantes em direção ao nosso destino final: Machu Picchu.

Ao longo de degraus íngremes sem fim, nos sentíamos como formigas em uma longa fila subindo a colina. Algumas horas depois de acordar, estávamos na entrada de Machu Picchu. Encontramos nosso guia e fomos assistir ao nascer do sol sobre a antiga cidade.

Passamos as próximas horas explorando Machu Picchu, completamente impressionados com o tamanho, a escala e o significado do local. Nosso guia nos contava sobre a história, a origem e como a cidade fora construída.

Embora estivéssemos completamente exaustos, foi incrível ter trabalhado tanto e ter chegado até ali com nossos próprios pés. O esforço da trilha nos fez apreciar muito mais a nossa visita a Machu Picchu.

Passamos aquela tarde relaxando em torno de Aquas Calientes antes de pegarmos o trem noturno de volta a Cusco. Chegamos a Cusco naquela mesma noite, fizemos check-in em um hostel recém-inaugurado e dormimos imediatamente.

Os dias seguintes foram em Cusco nos recuperando. Fazer massagem estava no topo da nossa lista e no dia seguinte, foi exatamente isso que fizemos. Aliás Cusco tem muitos lugares que oferecem massagens incríveis e baratas.

Machu Picchu é um dos destinos mais cobiçados do mundo e está na lista de muitos viajantes. Adoramos explorar e aprender sobre esta antiga cidade, mas, apesar da maravilha que você sente por lá, o destaque de nosso tempo no Peru foi certamente a jornada e não o destino.

A trilha Salkantay foi cansativa; foram longos dias de caminhada, poucas horas dormindas e uma dor de cabeça constante provocada pela altitude. Ainda assim, foi gratificante. Esta aventura nos proporcionou algumas das paisagens mais impressionantes que já vimos e com certeza foi a melhor maneira de chegarmos a Machu Picchu.

Onde se hospedar em Cusco antes ou depois da sua trilha a Machu Picchu (dica Monday Feelings)

Plaza das armas em cusco peru
Plaza das Armas no centro de Cusco

Cusco é uma das cidades mais legais e vibrantes do Peru e você certamente deve reservar alguns dias por ali para explorá-la com calma, antes de seguir viagem para o seu próximo destino no país.

Por ser bastante turística, existem diversas opções de hotel em Cusco, para todos os gostos e orçamentos.

Para os viajantes procurando uma experiência mais sofisticada, recomendamos o Novotel Cusco. Localizado dentro de um edifício histórico do século XVI, o Novotel Cusco oferece uma atmosefera super autêntica e arquitetura tipicamente peruana. Os quartos são super confortáveis e o café da manhã estilo buffet uma delícia.

Já criamos diversos roteiros de viagem personalizados para turistas viajando pelo Peru e, sempre que nos pedem uma opção mais luxuosa, mas ainda assim acessível, recomendamos o Novotel Cusco. Todos adoram.

Para aqueles que estão com o orçamento mais apertado, mas ainda assim gostam de charme e conforto, recomendamos o Hosteria de Anita ou Casona Boutique Hotel.

Cusco também possui uma infinidade de excelentes hostels!

about the author
Jaison from flashpackco
Jason Kraemer é o co-fundador do Flashpacker Co, um site de viagens e estilo de vida destinada a ajudar o número crescente de flashpackers a aproveitarem ao máximo suas aventuras – experimentando mais, sem sacrificar tanto. Siga o Flashpacker no Instagram @FlashpackerCo.

 

Escreva para o Monday Feelings também!!

Você tem uma boa história de viajante? É engraçada, interessante ou você simplesmente gostaria de dividi-la? Então manda pra gente! Você pode entrar em contato através do nosso email getintouch@mondayfeelings.com ou mandar uma mensagem aqui!