Este post também está disponível em: enEnglish

Passamos poucas horas em Aswan. Tempo insuficiente para conhecer a cidade, os templos e a cultura local. Mas a impressão que fica é de ser uma cidade vibrante e moderna.

Muitos jovens na rua. Mulheres passam de um lado para o outro, acompanhadas do namorado, do amigo, das amigas, da família. Elas parecem vaidosas, muitas vezes maquiadas, com roupas da moda e salto alto. Nem todas usam a burca.

Os homens também passam em grupos, observando e comentando tudo. Alguns com roupas mais modernas, outros com a veste tradicional e óculos escuros esportivo. Quase todos fumam.

A cidade tem clima de praia e com seus barcos e veleiros à beira do rio, é parada obrigatória para os viajantes que descem o Nilo de cruzeiro.

O que fazer em Aswan

Cruzeiro no rio Nilo

O assédio de vendedores é muito menor do que em outras cidades que visitamos, o que torna o passeio mais agradável.

Hoje é feriado cristão por aqui, e não entendemos muito bem o motivo, mas as ruas próximas à igreja e ao cemitério estão fechadas. Pelo que nosso guia explicou, o governo tem tomado algumas medidas para segregar cristãos e muçulmanos (mais tarde escutamos de uma outra pessoa em Cairo, que na verdade o fechamento dessas áreas é para protegê-las de possíveis ataques de grupos como a Irmandade Muçulmana).

Você poderá se interessar também em: Moscas Malditas – Aswan

O único ponto turístico que visitamos – e recomendamos – foi o museu da história do povo Núbio, proveniente da região ao norte do Sudão e sul do Egito, à beira do Alto Rio Nilo – representando assim um dos povos mais antigos da região. Os Núbios ainda preservam muitos traços da cultura tradicional, como a cerâmica e artesanatos. Hoje em dia são de maioria muçulmana e são reconhecidos como um povo pacífico “como os brasileiros”, muitos dirão.

O que fazer em Aswan

Outros pontos turísticos da cidade são:
– Templo de Abu Simbel:

localizado a 230 km ao sul de Aswan, quase na fronteira com o Sudão. O templo foi esculpido nas montanhas na época do faraó Ramses II, no século XIII AC. Infelizmente não tivemos tempo de viajar até lá, mas com certeza esse destino tem que estar nos planos de quem viaja ao Egito com mais tempo.

– Templo de Isis:

complexo de templos construído na ilha de Philae na época de Nectanebo I.

– Ilha de Elefantina:

sítio arqueológico conhecido por manter o “nilômetro”, medidor da altura do Nilo inventado na época dos faraós.