Este post também está disponível em: enEnglish

A nossa visita a Firenze coincidiu com o maior encontro de ciclistas da Europa, o Critical Mass (Massa Crítica, em português). Tínhamos acabado de chegar na cidade com as nossas bikes – estávamos no início da nossa viagem de bicicleta de Parma a Puglia – e, por coincidência ou destino, rs, tivemos a oportunidade de participar pela primeira vez desse evento maravilhoso que reuniu pessoas do mundo inteiro.

Foram cinco horas de pedalada, explorando praticamente todo o centro de Firenze, o subúrbio e até um pouco da estrada. Uma experiência muito legal, com direito a animação, música e principalmente respeito.

ciclistas na estrada fora de Firenze durante o Critical Mass

A Massa pedalando fora de Firenze por um trecho da estrada

Critical o quê?

Aviso em bicicletas durante o Critical Mass de Firenze

“Evitando idiotas em carros. Episódio 4733312… continua” – Mensagens dadas

O Critical Mass acontece mensalmente em diversas cidades do mundo – a primeira edição foi em São Francisco, em 1992. Uma vez por ano na Europa, todos se encontram em um determinada cidade para fazer uma grande marcha e pedir por mais espaço e segurança para as bikes. Até então, as últimas edições do Critical Mass na Itália tinham acontecido em Roma, mas em 2018 o encontro foi em Firenze, justo no dia em que chegamos à cidade com as nossas bicicleta. Demais né?!

Critical Mass: Um movimento horizontal

grupo de ciclistas pedalando pelas estradas de Firenze

Pedalando pelas estradas de Firenze

A ideia do Critical Mass é que não exista uma liderança preestabelecida. Os caminhos são decididos espontaneamente conforme a massa se move e desenvolve. Cabe a quem estiver nas primeiras posições liderar a marcha e parar o trânsito até que todo o grupo passe. Quem assume a nova liderança, se voluntaria na função e por aí vai.

Dá uma olhada no nosso vídeo quando estávamos lá na Ciemmona! Não se esqueça de se inscrever no canal, deixar seu comentário e seu like pra ajudar os amigos aqui 🙂

Como os motoristas lidavam com a marcha?

ciclistas durante o Critical Mass de Firenze

Alguns voluntários parando o trânsito para a Massa passar

É claro que ao parar os carros e congestionar o trânsito por cerca de 10 minutos, alguns conflitos aconteciam. Motoristas nervosos xingavam, motos tentavam furar o bloqueio… mas o mais legal foi ver que grande parte das pessoas, tanto pedestres quanto motoristas, pareceu apoiar o movimento.

Muita gente batia palma, desligava os motores e até dançava ao som das tantas bicicletas musicais – tinha inclusive uma que carregava uma banda ao vivo, como se fosse um mini-palco sobre rodas.

Uma banda em duas rodas

A Bike Banda

Como os ciclistas reagiam?

Outra coisa que nos marcou nessa experiência, foi ver como os ciclistas reagiam aos motoristas mais exaltados. Em alguns momentos, pelos menos dois que nós vimos, houve uma discussão bem calorosa entre motorista e ciclistas. No meio da discussão, nessas duas vezes, vinha alguém e abraçava o motorista, pedindo desculpas pelo distúrbio e com muito jeito, pedindo paciência à pessoa, para esperar mais 10 minutos até a massa passar.

O que sentimos é que no final das contas, a mensagem do Critical Mass e seus participantes não era hipócrita; era pedir mais respeito, dando respeito.

Ciclistas em Firenze para o Critical Mass

O Critical Mass em Firenze

Já viu os nossos episódios da viagem de bicicleta de Parma, Itália até a Eslovênia? Veja aqui, fique à vontade para deixar seu comentário e, se achar que merecemos, deixe seu like. Para ver mais, increva-se 🙂 Obs: Legendas em Português

– Dá só uma olhada no primeiro episódio: 

E em casos de urgência?

Com o distúrbio do trânsito e da “ordem” da cidade, em alguns momentos tivemos dúvidas quanto à legitimidade do Critical Mass. A prova de fogo no entanto, foi quando uma ambulância precisou passar em pleno centro da cidade, em uma via que estava totalmente tomada pelas bikes. Os últimos da fila começaram a gritar “ambulanzaaa!!” e a palavra de ordem foi sendo passada adiante. Em menos de 10 segundos, todas as bicicletas tinham saído do caminho, deixando a via completamente livre para a ambulância passar. Quanto tempo não teria tardado para a mesma rua, lotada de carros, ser liberada?

Ali tivemos a certeza de que estávamos onde deveríamos estar.

ciclista em uma roda só pelas ruas de Firenze

Ciclistas curtindo sem se preocupar com carros

Como terminou?

O final do Critical Mass levou todo o grupo para um dos pontos mais incônicos de Florença, a Piazzale Michelangelo, para assistir ao pôr-do-sol, comemorar o sucesso do evento e explodir em festa. Essa foi realmente uma experiência única e inesquecível e recomendamos a todos que tiverem a oportunidade, de participarem de um Critical Mass pelo menos uma vez.

ciclistas do Critical Mass na praça michelangelo vendo o pôr-do-sol

A Massa na Praça Michelangelo para o pôr-do-sol

Sem apologias nesse post (só um pouquinho, vai?), não estamos aqui para criticar os adeptos aos carros, mas sim para pedir mais respeito e segurança para os ciclistas. Tem espaço para todo mundo, é só sabermos dividir. 

Mais fotos do Critical Mass 2018: