Este post também está disponível em: enEnglish

Vivendo ao redor do mundo – Por onde passamos:

    Organização não é o nosso forte… Quando começamos a viagem, em Londres, em dezembro de 2014, tínhamos um plano, mas durante a viagem, seguimos muito pouco dele.

    Mas não podemos reclamar. Nossa desorganização joga a nosso favor já que nos permite ser flexíveis e livres para ir a qualquer lugar.

    Somos apaixonados por pessoas e são os encontros que temos durante o caminho que moldam o nosso destino. Se alguém passa uma dica legal, é pra lá que vamos; se chegamos em um lugar e gostamos do que vemos, é lá que ficamos. Queremos conhecer os lugares, pessoas e cultura a fundo e por isso não viajamos com pressa. Nós gostamos de pensar que não estamos viajando ao redor do mundo, mas sim vivendo ao redor do mundo.

    O itinerário que seguimos: Saímos de Londres e fomos passar o Réveillon em Roma, Itália (dezembro/14). Logo em seguida, 10 dias de Egito (janeiro/15). Depois moramos por 5 meses no Quênia voluntariando em um orfanato no interior do país (janeiro a junho).

    Foi com o coração na mão que deixamos as crianças do orfanato para seguir viagem pela África por terra: Tanzânia (junho), Malawi (junho), Moçambique (julho) e África do Sul (julho). Na terra de Nelson Mandela, encontramos a família do Ti e viajamos todos juntos de motorhome por um mês.

    De lá seguimos sozinhos para o Irã (agosto). O plano era passar 15 dias, mas foi impossível não se apaixonar pelo país e estendemos nosso visto para um mês.

    Viajamos em seguida por estrada para a Armênia (setembro) e de carona em carona, passamos por Geórgia (setembro) e fomos parar lá na Rússia, em uma floresta perto da Finlândia. Cruzamos então o maior país do mundo de trem, na famosa Transiberiana (outubro).

    Em Vladivostok pegamos um voo para a Coreia do Sul (novembro). De lá, fomos nos apaixonar pela Indonésia e surfar em Bali (dezembro). O visto não permitiu que ficássemos por mais tempo e, depois de um mês, estávamos na Tailândia (Jan-Abr 2016).

    No caminho para o Brasil, paramos na Malásia e Alemanha (abril 2015). Foram 5 meses de Brasil, revimos amigos e família e trabalhamos nas Olimpíadas do Rio (maio a setembro 2015). Em setembro voltamos à vida nômade, começando com um trabalho como guias turísticos por Rússia, Geórgia e Armênia.

    Em seguida foi hora de rever os amigos em Londres, onde ficamos por 4 semanas em outubro.

    Um mês em Londres foi ótimo para matar a saudades de grandes velhos amigos e da cidade. Então embarcamos num dos projetos mais intensos das nossas vidas, como voluntários para ensinar inglês e fotografia para os refugiados, junto com os ImImmigrant & Drawfugees. De volta para onde tudo começou, em Londres, passamos o nosso Ano Novo e o começo de 2017 com a irmã do Ti e com bons velhos amigos.

    Após nossa aproveitosa passada na ITB Berlin, o maior evento de turismo do mundo, em Berlim (óbvio), nos mudamos para Parma, Itália. Estamos amando aqui e nosso futuro ainda é incerto. Fique ligado!

    pôr-do-sol na Tailândia

    Depois

    O depois é sempre muito obscuro pra gente. Porém, provavelmente passaremos uns meses no continente africano, já que sentimos muita saudades das crianças do Quênia, sem falar das praias paradisíacas.

    Antes

    Antes de começar a nossa volta ao mundo, já tínhamos conhecido juntos a maioria dos países europeus. Morávamos em Londres (Tiago por 8 anos e Fernanda por 3), por isso decidimos pular a Europa dessa vez. Também já viajamos no passado para Peru, Chile, Bolívia, Índia e Marrocos. Veja mais sobre nós em “quem somos”!